Observatório feminino debate a investigação de crimes cometidos pelo Discord

Observatório Feminino

23-07-2023 • 23 mins

O Observatório Feminino deste domingo (23) debate o desenrolar da operação Dark Room, contra crimes praticados através da plataforma de jogos Discord. As investigações começaram em março deste ano, com o compartilhamento de informações entre a Polícia Federal e policiais civis de vários estados do país.

Conforme as investigações, três servidores da plataforma eram utilizados por um grupo de jovens e adolescentes de várias regiões do país para cometerem atos de extrema violência contra animais e adolescentes, além de divulgarem pedofilia, zoofilia e fazerem apologia aberta de racismo, nazismo e misoginia.

Vídeos publicados na plataforma mostravam mutilações e sacrifícios de animais como parte de desafios impostos pelos criadores e administradores dos servidores como condição para membros ganharem cargos na comunidade, o que se traduzia principalmente em permissões e acesso às funções dentro do grupo. A maioria dessas ações era transmitida ao vivo em chamadas de vídeo para os integrantes dos servidores.

Ainda segundo a apuração, adolescentes também eram chantageadas e constrangidas a se tronarem escravas sexuais dos líderes e eram vítimas dos "estupros virtuais" que eram transmitidos ao vivo por meio de chamadas de vídeo para os integrantes do servidor. Até o momento, dois adolescentes de 14 e 17 anos foram apreendidos e um jovem de 19 anos foi preso.

Em nota, o Discord afirmou que não comenta casos específicos. A empresa também afirmou que tem uma "política de zero tolerância para atividades que sejam potencialmente prejudiciais à sociedade". "Com nossos esforços para combater ameaças à segurança infantil, nós proativamente removemos cerca de 98% das comunidades que encontramos com materiais de abuso infantil no Brasil ao longo dos últimos seis meses", diz a nota.

Supostos agiotas estão agindo abertamente no Instagram, se identificando como tal. Mas, na verdade, é mais um golpe. Os alvos são os mesmos: pessoas que precisam de crédito e não têm acesso aos meios legais, como bancos.

Na verdade, os perfis não são de agiotas, mas de golpistas. Não há empréstimo e a pessoa acaba perdendo dinheiro. O golpista questiona sobre o valor desejado e apresenta uma tabela de valores. Em seguida, informa que há um “seguro” a ser pago antes de o negócio ser fechado. Os valores variam entre R$ 50 e R$ 400, depende do valor solicitado pela vítima. O estelionatário condiciona o depósito do valor pretendido ao pagamento da taxa.

Para falar sobre esse assunto, e sobre segurança digital, as jornalistas Alessandra Mendes, Aline Neves e Wanda Sampaio recebem a presidente da Comissão Estadual de Educação Digital da OAB Minas, Daniella Avelar.

O podcast

O podcast Observatório Feminino vai ao ar todos os domingos, às 8h30, na Rádio Itatiaia. Você também pode ouvir os episódios nas plataformas de áudio, e no Youtube da Rádio de Minas

You Might Like

Happy Place
Happy Place
Fearne Cotton
Uncanny
Uncanny
BBC Radio 4
Stuff You Should Know
Stuff You Should Know
iHeartPodcasts
The Girls Bathroom
The Girls Bathroom
Sophia & Cinzia
How To Fail With Elizabeth Day
How To Fail With Elizabeth Day
Elizabeth Day and Sony Music Entertainment
Young Again
Young Again
BBC Radio 4
Modern Wisdom
Modern Wisdom
Chris Williamson
Dad V Girls After Hours
Dad V Girls After Hours
The Fellas Studios
Am I the Jerk?
Am I the Jerk?
youtube.com/amithejerk
The Why Files: Operation Podcast
The Why Files: Operation Podcast
The Why Files: Operation Podcast